segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Reencontro comigo mesmo

Adeus! É apenas isto que eu tinha a dizer;
Vou me embora! – Pensei, mas não à maneira de Bandeira...
Retirar-me-ia tal qual Augusto.
Talvez veria alguns anjos, demônios ou o vazio;
Veria o nada! Veria o sombrio! Veria o fim!

Três letras, medo, lágrimas e vários “em branco” perto de mim.
Desespero, fios, agulhas, líquidos que curam...
- Tenha calma, ele é forte – disse alguém.
Silêncio, dor, neblina, pessoas que murmuram;

O telefone toca...
Notícias incertas são ditas.
A esperança e o carinho são vitais;
E o órgão de bombear sentimentos, que prometia não funcionar mais...
Arremessou, acelerado, algumas poucas gotas de esperança.

Refez-se a vida!
Adeus enxame de descoloradas roupas! Vou me embora... Porém agora à Bandeira.
Deixo as três letras que denotam intensidade para outros.
Chega de tratamento formal, chega de mal...
E para a próxima vítima desejo boa sorte e afirmo:
- A esperança nem sempre é a última que morre, mas é sempre a primeira que renasce.


video

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

FrÊcasso

Há de ser bom no que se faz, diria Shannon Hoon se estivesse vivo;
Algumas pessoas têm o dom de fazer das suas vitórias um marco universal;
Outras fazem de seus fracassos uma vitória, para mim, claro;

Não existe coisa melhor do que sair com alguém altamente zuavel...

O domingo era de sol, a aposta humilhante e a duas companhias perfeitas;
Aquele que é o melhor dos últimos três anos lutava pelo título do Brasileirão 2008.
Fernanda, corintiana, pseudo-revoltada com a burguesia, formada em... Adivinhem vocês... Tenho amor a minha vida e não vou dizer.

Voltando ao tema e deixando o passado burguês da criatura, que, alias, se negou a ver o jogo no shopping, pra lá...

A aposta era simples: Se o São Paulo fosse campeão a pessoa citada acima deveria se embrulhar no sagrado manto tricolor.

Talita, corintiana, futura chefe (fará gastronomia em breve) estava lá para registrar a cena; Porém, num infeliz ato de bondade, convidou uma mulher digamos... Estr... É... Bom, não tenho palavras para a criatura... E é até melhor assim... Talvez ela resolva me processar e, como já disse neste blog (eca) antes, ainda estou esperando o meu vídeo clipe ser sucesso no universo, e como ainda não foi, não tenho grana para advogados.

Acho que todas as pessoas estranhas de São Paulo foram ao Rei do Pastel para ver o jogo... Digo... Ver Fernanda ser humilhada; como de praxe.

Após aquela que não mencionamos ter sentado a nossa mesa, nos chamado de mal amados e ter sido expulsa com a frase: - nós não gostamos de amor, nós gostamos é de futebol – desferidas por Talita e Fernanda, em coro e tom de chute nos seios. O São Paulo fez um gol.

Prevendo o seu futuro mico, Fernanda saiu da mesa, e viu a divulgadora do amor sentada com outra vítima, digo... Companhia. Por vergonha eu não disse, mas a antiga quase vítima era eu. Nessas horas é que eu agradeço de ter uma pseudo-revoltada por perto.
(Talita também ajudou a expulsá-la, mas foi à culpada de tê-la em nossa mesa, o que anula o feliz ato de maldade dela).

Alguns minutos após, a antiburguês, volta a nossa mesa com uma companhia um tanto Maurício (ele vai me odiar por isso o resto da vida)...

Preciso contar o fim da história? Acho que não né?

Como eu deixei explicitamente subentendido anteriormente... Fernanda, um monossílabo tônico movido a cerveja, é a pessoa mais fracassada e zuável que eu conheço. Saiu de casa na esperança de me ver com a camisa do Corinthians, teve que se cobrir com a bandeira do São Paulo e ainda de quebra arrumou um namorado Maurício, cujo nome é Senna.

Se eu amanhecer morto amanhã...

Adeus.

Poema da modinha restrita

Em 2008, o ócio mental virou cult.
Hoje em dia virou comum bater no peito e dizer:
- Eu leio Caio Fernando de abreu e ouço Teatro Mágico.

Confesso que fico feliz por isso ocorrer... Não por eles, mas por mim.
É vantajoso que os demais cerebros tenham um fim Trágico.
Neste mundo competitivo, bobalizado, quanto mais modistas melhor.

Num mundo de idéias iguais, o diferente prevalece;
Vejam só a mulher melancia... Quer algo mais diferente que aquela bunda?
Ops... Deixa eu voltar atrás, se eu for falar dela, irei acabar defendendo quem lê Caio.

Voltando a idéia central de escrever este tópico...

Eu, para irritar, disse a duas amigas que ler Caio, escrever blogs e ouvir Teatro é modinha;
Considero atos assim como tentativa de se socializar virtualmente...
Não acredita no que eu digo? Entre em uma comunidade do orkut que as pessoas conversem...
Digo isto por que 60% do orkut é destinado a joguinhos, piadas e auto-promoção.

Droga, hoje estou disperso... Voltemos ao assunto..

Após entrar nas tais comunidades de pessoas que conversam;
Tente puxar o tema poesia e verá que 80% dos membros falaram de Caio.
Puxe o tema música e, como um passe de mágica, Teatro Mágico aparecerá.

O mais legal é que cria-se uma rede social de morte ao cérebro.
Um tenta convencer o outro que ele é inteligente por ler e ouvir aquilo.
Algo diferente dessa modinha, é estereotipado de coisa do povão.
Aliás, por que você acha que a frase "Maldita inclusão digital" virou moda?

Resumindo o assunto... O estilo de vida da maioria é ruim...
A classe média criou a sua própria modinha...
Ela não ouve Luiz Gonzaga mas escuta Fala Mansa e Cordel do fogo encantado;

Como disse antes, continuem assim... Mantenham a sua modinha restrita;
Façam da classe média um clube restrito e pseudo qualquer coisa...
Um dia vocês serão tão zuados quanto os Emos, se é que já não são.


Tópico criado para irritar a Dany e rebater o que ela disse aqui:
http://desedificando.blogspot.com/2008/12/sabe-tava-pensando-eu-leio-muito.html

Nada pessoal :-) Gosto muito dela.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Pagando Mico

Eu fico pensando no porque alguém cria um blog para ser lido por dezenas, centenas, ou até mesmo... Ele apenas! Vai saber... Há blogs que são tão ruins que só o próprio criador(a) tem saco para abrir e ler.

Este aqui, por exemplo, é um deles. Como eu já disse anteriormente, eu fui obrigado a criá-lo, o que já não deixa de ser um mico... Ai hoje, pensei... pensei e pensei... Já que é pra postar algo aqui e pagar mico, porque não criar meu próprio vídeo Clipe?

Algo que possa mostrar meu talento para o mundo... Talvez até para o universo. Nunca se sabe né? Se eu, que poderia estar em algum lugar mais animado, estou aqui escrevendo esta merda... O que impediria um ET cinza (daqueles que constroem naves capazes de percorrer todo o universo em segundos apenas para vir estudar a tecnologia terrestre) resolva visitar a nossa Internet.

Imagine um gray lá em uma das praias da constelação de centauros, segurando o seu Laptop, usando uma sandália havaianas (duvido que eles não tenham abduzido uma) e do nada digita mimself no google e me acha.

O tal do um em um milhão as vezes acontece e foi pensando nisso que resolvi gravar o vídeo abaixo:

video


E ai... Matei a pau ou não?



quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Retrato falado/ Change (Blind Melon)

O silêncio, o copo de vinho e aquela antiga lembrança;
O perfume que nunca mais saiu do corpo;
A música que acalma na madrugada;
O desejo que queima a carne, o amor que trazia esperança;
A alma reage... Suspiros... Não fumo, mas sinto falta do cigarro.
Dela... Não quero mais nada, apenas a distância;

Aquela silenciosa distância faz minha ebulição ser apenas implícita;
Um sofrimento sereno faz quem me vê achar que estou sorrindo.
Hipócrita é o coração que se autoflagela por medo...
Medo não, pavor de ser espancado por outro coração;

A memória não se cala, a campainha toca... E ela?
Sim... Finalmente ela chegou.
Bem vinda minha querida caixinha mágica da felicidade.
Solução rápida e paga para quem um dia amou;

Silêncio, vinho, dois comprimidos e o sono;
Ausência de beijos, sexo e carinho.
Um retrato falado de uma noite de abandono.

video

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

12 por 8

Nada me irrita mais do que alguém me pedir algo e desejar aquilo para ontem. Eu sou do tipo de pessoa que gosta de ajuda e fazer o que me pedem, saca? Porém, me deixe fazer quando eu quero. Nasci de 9 meses... Isto é, no meu tempo certo...

Neste exato momento, em que tento escrever meu primeiro tópico, neste blog que nasceu por livre e espontânea pressão, está ocorrendo a seguinte conversa no msn:

Rodrigo diz:
estou fazendo a primeira postagem
Rodrigo diz:
aguarde pra ver
Dolorida-colorida diz:
ta
Dolorida-colorida diz:
não demora
Rodrigo diz:
o que você acaba de dizer tem tudo a ver com meu post
Dolorida-colorida diz:
é
Dolorida-colorida diz:
quero ir dormir
Rodrigo diz:
tudo bem, Loló. Espere mais 15 min apenas
Dolorida-colorida diz:
haha
Dolorida-colorida diz:


Como o título desta primeira postagem diz, sou 12/8... Pressão comigo tem que ser baixa, dentro do normal. "I like watching the puddles gather rain", eu gosto de coisas que não me façam correr. Porém, tudo conspira sobre esse meu desejo de paz... Desde o trabalho, àquela que eu chamo de sister. Os opostos se atraem... Amo Sister e meu trabalho e ambos me dão muita pressão... Agora só me falta uma gostosa estilo as do funk pra realmente me dar a pressão que eu sempre sonhei.

Continua no próximo capitulo... Talvez daqui ... bom, sem pressão, quando der eu escrevo.